Várzea Grande/MT,
-
2 Usuários Online
Já temos  visitas
desde o dia 03/03/2008
  MENU
  FILOSOFIA
  TEOLOGIA
- Sites de Teologia
- Sites de Filosofia
- A Ética Filosófica em Tomás de Aquino
- Humildade e exaltação: A dinâmica do amor
- Deus é um seio – Narrativas evangélicas
- Marxismo: A “sacrossanta” anulação do amor ao próximo por amor à humanidade
- Deus, Filosofia e Vida – Uma primeira aproximação
Tomás de Aquino
Postado em:02/04/2016 às 15:51 
A Ética Filosófica em Tomás de Aquino
Como diria Gonzaguinha, começaria tudo outra vez, se preciso fosse! Certamente não da mesma forma, até porque  nu...
Postado em:28/03/2015 às 23:49 
Humildade e exaltação: A dinâmica do amor
Apesar de lançado agora, há muito escrevi este artigo. O autor do livro do Eclesiástico afirma: “Não ordenou a ninguém s
Postado em:01/03/2015 às 15:28 
Deus é um seio – Narrativas evangélicas
No filme de Mel Gibson, A Paixão de Cristo, o que mais me impressionou foi a absoluta fidelidade de Nosso Senhor a Ele m
Postado em:17/12/2014 às 12:34 
Marxismo: A “sacrossanta” anulação do amor ao próximo por amor à humanidade
Um dos rituais judaicos para expiação dos pecados consistia no fato de toda comunidade colocar as mãos sobre um bode e c
Postado em:30/09/2014 às 17:54 
Deus, Filosofia e Vida – Uma primeira aproximação
Há muito escrevi este texto. Não faço ideia em que gênero literário enquadrá-lo.  Também não julgo que seja desti...
Trabalhos Acadêmicos
por: - Data:02/10/2014 às Horário: 18:50
Análise de Constitucionalidade do Aborto Sentimental
Anexos do Artigo: 

Pedro Nascimento é um irmão católico e orientador nos momentos difíceis da vida. Nossa parceira vem de longe, quando ele ainda discernia a sua vocação. Vivíamos como missionários católicos, vida que ainda hoje ele cultiva. Mas Pedro também é pai, esposo, filho, irmão e um amigo como poucos. Como profissional, é Advogado, Matemático e Professor de reassegurada capacidade. O seu texto inspira-nos, porque Pedro traz nascimento até no nome. Seu trabalho levou-nos à passagem da República de Platão:

 

[...] o justo será, tal como o temos apresentado, açoitado e torturado; posto na prisão, seus olhos serão queimados e, depois de padecer toda sorte de castigos, será atado ao tronco [...]. [PLATÓN. República. Trad. Conrado Eggers Lan. Madrid: Editorial Gredos, 1988. II, 361 e 362 a]. [A tradução, cotejada com o original grego para o português, é nossa].

 

Poderíamos, sem maiores dificuldades, contextualizarmos esta passagem. Mas bastam aqui algumas palavras. Dentre outras coisas, também pelo passo acima citado e não por alguma razão teológica, somos contra que se retirem os crucifixos dos ambientes públicos. Tal como o justo de Platão, Cristo foi crucificado injustamente. Preferiram Barrabás, agitador e assassino, a Ele. A Ele, justamente a Ele, que passou por estas plagas fazendo o bem a todos. A Ele, a nossa justiça de olhos vendados, a nossa justiça cega e impessoal, condenou ao suplício mais ignominioso, estendendo-lhe a espada e vedando-lhe com o seu malhete o direito de defesa. Seu juiz e algoz lavou as mãos; seus verdugos cuspiram nele e lhe impuseram vitupérios e sofrimentos atrozes. Sim, a nossa justiça é capaz de condenar inocentes e inocentar culpados. De fato, condenou o JUSTO, condenou Aquele que acolhia as pessoas com todas as veras de seu ser. Não bastasse isso, agora, quer entregar à sorte infausta os nossos inocentes? Ora, qual desdita restará ainda a nos impor? Por isso, para que a sua balança não penda para o lado errado, a Cruz de Jesus deve servir-lhe sempre de bússola.

 

Resumo:

 

O abortamento sentimental é admitido na legislação brasileira, constante no art. 128, II, do Código Penal de 1940. Porém, uma grande polêmica se estabelece em torno do tema referente sua recepção ou não pela Constituição Federal de 1988. O dispositivo permite a interrupção da gravidez em caso de estupro. A CF/88 estabelece como fundamental o direito à vida, resguardado, inclusive, por cláusula pétrea. O presente trabalho investiga se houve receptividade do dispositivo penal enunciado, para concluir por sua constitucionalidade ou inconstitucionalidade, tanto do ponto de vista formal quanto material.

 

 Sobe |    
   Documentos da notícia:
 ABORTO_POR_PEDRO-NASCIMENTO.pdf
  Copyright © filosofante.org.br 2008 - Todos Direitos Reservados