Várzea Grande/MT,
-
3 Usuários Online
Já temos  visitas
desde o dia 03/03/2008
  MENU
  FILOSOFIA
  TEOLOGIA
- Sites de Teologia
- Sites de Filosofia
- A Ética Filosófica em Tomás de Aquino
- Humildade e exaltação: A dinâmica do amor
- Deus é um seio – Narrativas evangélicas
- Marxismo: A “sacrossanta” anulação do amor ao próximo por amor à humanidade
- Deus, Filosofia e Vida – Uma primeira aproximação
Tomás de Aquino
Postado em:02/04/2016 às 15:51 
A Ética Filosófica em Tomás de Aquino
Como diria Gonzaguinha, começaria tudo outra vez, se preciso fosse! Certamente não da mesma forma, até porque  nu
Postado em:28/03/2015 às 23:49 
Humildade e exaltação: A dinâmica do amor
Apesar de lançado agora, há muito escrevi este artigo. O autor do livro do Eclesiástico afirma: “Não ordenou a ninguém s
Postado em:01/03/2015 às 15:28 
Deus é um seio – Narrativas evangélicas
No filme de Mel Gibson, A Paixão de Cristo, o que mais me impressionou foi a absoluta fidelidade de Nosso Senhor a Ele m
Postado em:17/12/2014 às 12:34 
Marxismo: A “sacrossanta” anulação do amor ao próximo por amor à humanidade
Um dos rituais judaicos para expiação dos pecados consistia no fato de toda comunidade colocar as mãos sobre um bode e c
Postado em:30/09/2014 às 17:54 
Deus, Filosofia e Vida – Uma primeira aproximação
Há muito escrevi este texto. Não faço ideia em que gênero literário enquadrá-lo.  Também não julgo que seja desti...
Últimos Artigos
por: - Data:30/09/2014 às Horário: 17:54
Deus, Filosofia e Vida – Uma primeira aproximação
Anexos do Artigo: 

Há muito escrevi este texto. Não faço ideia em que gênero literário enquadrá-lo.  Também não julgo que seja destinado à Academia. Escrevi-o apaixonadamente, mas não passionalmente. A sua conclusão é que não se pode separar filosofia e vida, filosofia e existência. Todo aquele que as separa, produz letra morta. Toda filosofia que não é encarnada ou não tende a se encarnar é obra morta [SCIACCA, Michele Federico. Filosofia e Metafisica. Milano: Marzorati Editore, 1962. v. I. pp. 23 a 81]. Uma palavra que não se traduz em vida é como uma casa construída sobre a areia. De fato, quem é o “vericida”, senão aquele que procura uma “verdade” que o sirva e não uma Verdade a quem servir? [SCIACCA, Michele Federico. Filosofia e Antifilosofia. Trad. Valdemar A. Munaro. São Paulo: É Realizações, 2010]. Neste sentido, filosofia e moral andam juntas, sim. Com efeito, quando se trata da verdade mister é ser quente ou frio; se for morno, Ela o vomitará. Por isso, filosofar é abrir a porta à Verdade, a fim de cear com ela.  Somente dentro deste contexto a questão das questões, Deus, pode ser pensada. Sciacca, que escreve no mundo pós-guerra, assevera que tanto certo teísmo caprichoso quanto um ateísmo assaz afetado provêm da mesma idolatria, a saber, dos que fazem filosofia como se exuma um cadáver, da idolatria que procede do necrotério dos historicistas, isto é, daqueles que se dedicam a fazer a autópsia de épocas e de autores. Ora, para estes – teístas ou ateístas – Deus será sempre um ídolo [SCIACCA, Michele Federico. Filosofia e Metafisica. Milano: Marzorati Editore, 1962. v. II. pp. 7-14]. Ao menos uma coisa podemos aprender com Sciacca: o amor à verdade é a alma de qualquer texto e a de qualquer autor. Sem este amor, tanto o texto quanto o autor não passam de “ossos ressequidos”. Não é de pouca monta a Verdade Encarnada nos ter dito: “[...] conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará [...]” [Jo 8, 32]. Não que não se possa ter opiniões, mas estar sob a Verdade é justamente não permitir que opiniões sejam tomadas por verdades. Urge tratar uma dóxa [δξα] como dóxa [δξα]. Tem-se opinião sobre algo, mas não porque não se acredita na verdade; antes, como não se tem certeza, tem-se medo de trair a Verdade, afirmando temerariamente. Combater o bom combate, em filosofia, é combater a “logofobia”.

 

 

 Sobe |    
   Documentos da notícia:
 Deus_Filosofia_Vida.pdf
  Copyright © filosofante.org.br 2008 - Todos Direitos Reservados