Várzea Grande/MT,
-
1 Usuário Online
Já temos  visitas
desde o dia 03/03/2008
  MENU
  FILOSOFIA
  TEOLOGIA
- Sites de Teologia
- Sites de Filosofia
- A Ética Filosófica em Tomás de Aquino
- Humildade e exaltação: A dinâmica do amor
- Deus é um seio – Narrativas evangélicas
- Marxismo: A “sacrossanta” anulação do amor ao próximo por amor à humanidade
- Deus, Filosofia e Vida – Uma primeira aproximação
Tomás de Aquino
Postado em:02/04/2016 às 15:51 
A Ética Filosófica em Tomás de Aquino
Como diria Gonzaguinha, começaria tudo outra vez, se preciso fosse! Certamente não da mesma forma, até porque  nu...
Postado em:28/03/2015 às 23:49 
Humildade e exaltação: A dinâmica do amor
Apesar de lançado agora, há muito escrevi este artigo. O autor do livro do Eclesiástico afirma: “Não ordenou a ninguém s
Postado em:01/03/2015 às 15:28 
Deus é um seio – Narrativas evangélicas
No filme de Mel Gibson, A Paixão de Cristo, o que mais me impressionou foi a absoluta fidelidade de Nosso Senhor a Ele m
Postado em:17/12/2014 às 12:34 
Marxismo: A “sacrossanta” anulação do amor ao próximo por amor à humanidade
Um dos rituais judaicos para expiação dos pecados consistia no fato de toda comunidade colocar as mãos sobre um bode e c
Postado em:30/09/2014 às 17:54 
Deus, Filosofia e Vida – Uma primeira aproximação
Há muito escrevi este texto. Não faço ideia em que gênero literário enquadrá-lo.  Também não julgo que seja desti...
Filosofia Tomasiana
por: - Data:10/09/2010 às Horário: 13:34
De creatione segundo Tomás de Aquino
Anexos do Artigo: 

Este artigo versa acerca da criação, seguindo a orientação tomásica da Prima Pars da Summa Theologiae, em suas questiones de 44 a 49, com a única interpolação da quaestio 104. Depois de tratar das Pessoas divinas, Tomás passa a considerar a processão das criaturas a partir de Deus. Esta consideração abrange três partes: a primeira está orientada para a produção das coisas; a segunda, sobre a distinção entre elas; a terceira, sobre a conservação e governo das criaturas. Neste ensaio, elegemos contemplar apenas as questões concernentes à produção das coisas no ser e a distinção entre elas.

Ora, no que toca à produção das coisas no ser, três questões fazem-se particularmente pertinentes. A primeira delas é a inquirição acerca da causa primeira de todos os entes. A segunda diz respeito à inquisição sobre como as criaturas procedem da sua causa primeira. A terceira é uma pesquisa que tange à duração das coisas. Agora bem, quanto à primeira questão, temos as seguintes averiguações a fazer: Deus é a causa eficiente de todas as coisas? A matéria primeira foi criada por Deus? Deus é a causa exemplar das coisas? Deus é a causa final das coisas? Acerca da segunda, cabe perquirir: o que é criar? Deus pode criar? A criação é alguma coisa nas criaturas? Ser criado é próprio do que é composto e subsistente? Só Deus pode criar? A criação é algo comum à Trindade ou a uma das pessoas? Há algum vestígio da Trindade nos seres criados? A criação implica também que Deus conserve continuamente o existir dos entes? No que diz respeito à terceira questão, devemos arguir: as criaturas existiram sempre? Que elas tenham ou não existido sempre é um artigo de fé?

No que tange à distinção entre as coisas, cuida considerar três questões: a distinção das coisas em geral, a distinção entre bem e o mal e a distinção entre a criatura espiritual e a criatura corporal. Destas três, a nossa abordagem privilegiará as duas primeiras. Ora, acerca da primeira, importa questionar: a multiplicidade ou distinção das coisas provêm de Deus? A consequente desigualdade entre elas procede de Deus? Há um único mundo? No que se refere à distinção entre as coisas em particular, deve-se perguntar sobre a distinção entre o bem e o mal. Ora, atende que consideremos, antes de tudo: se o mal é uma natureza; se ele se encontra nas coisas; se o bem é o sujeito do mal; se o mal destrói totalmente o bem; se o mal se divide em mal de culpa e mal de pena; se o mal de culpa tem maior razão de mal que o mal de pena. Em seguida, cumpre interrogar sobre a causa do mal. Referente a esta questão, cabe investigar: se o bem pode ser causa do mal; se o bem supremo é causa do mal; se há um mal supremo, causa e princípio de todos os males.

 Sobe |    
   Documentos da notícia:
 Creatione_Tomas.pdf
  Copyright © filosofante.org.br 2008 - Todos Direitos Reservados