Várzea Grande/MT,
-
1 Usuário Online
Já temos  visitas
desde o dia 03/03/2008
  MENU
  FILOSOFIA
  TEOLOGIA
- Sites de Teologia
- Sites de Filosofia
- A Ética Filosófica em Tomás de Aquino
- Humildade e exaltação: A dinâmica do amor
- Deus é um seio – Narrativas evangélicas
- Marxismo: A “sacrossanta” anulação do amor ao próximo por amor à humanidade
- Deus, Filosofia e Vida – Uma primeira aproximação
Tomás de Aquino
Postado em:02/04/2016 às 15:51 
A Ética Filosófica em Tomás de Aquino
Como diria Gonzaguinha, começaria tudo outra vez, se preciso fosse! Certamente não da mesma forma, até porque  nu...
Postado em:28/03/2015 às 23:49 
Humildade e exaltação: A dinâmica do amor
Apesar de lançado agora, há muito escrevi este artigo. O autor do livro do Eclesiástico afirma: “Não ordenou a ninguém s
Postado em:01/03/2015 às 15:28 
Deus é um seio – Narrativas evangélicas
No filme de Mel Gibson, A Paixão de Cristo, o que mais me impressionou foi a absoluta fidelidade de Nosso Senhor a Ele m
Postado em:17/12/2014 às 12:34 
Marxismo: A “sacrossanta” anulação do amor ao próximo por amor à humanidade
Um dos rituais judaicos para expiação dos pecados consistia no fato de toda comunidade colocar as mãos sobre um bode e c
Postado em:30/09/2014 às 17:54 
Deus, Filosofia e Vida – Uma primeira aproximação
Há muito escrevi este texto. Não faço ideia em que gênero literário enquadrá-lo.  Também não julgo que seja desti...
As provas da existência de Deus
por: - Data:17/06/2010 às Horário: 10:36
A prova da existência de Deus em Duns Escoto
Anexos do Artigo: 

João Duns Escoto nasceu em 1265/1266, em Duns, na Escócia. Feito frade ainda pequerrucho, foi admitido no convento com apenas quinze anos de idade (1278/9). Tornou-se sacerdote em 1291; tendo estudado em Paris e ensinado em Oxford (1297 a1301), retornou a Paris já como Bacharel Sentenciário. Fora obrigado novamente a deixar Paris e voltar à Inglaterra durante a luta entre Felipe, o Belo, e o Papa Bonifácio VIII, porque se recusara a aderir à causa do rei. No ano seguinte, retornou a Paris, onde, em 1304, por indicação do Ministro Geral da Ordem, obteve a Licenciatura  e o Magistério em Teologia. Ainda a mando do Ministro Geral, foi enviado a Colônia, vindo a falecer com apenas 42 anos de idade, em1308. Espírito eminentemente lógico, fundou uma tradição que veio a prevalecer na Universidade de Oxford. Extremamente exigente em matéria de demonstração, o Doutor Sutil revisou e corrigiu muitas das ideias vigentes em sua época, inaugurando, assim, um novo modo de pensar as relações entre fé e razão.

Na nossa pequena reflexão, tentaremos expor, de forma sucinta, as contribuições mais significativas de Duns Escoto no que concerne à questão da existência de Deus. Procuraremos, no corpo da argumentação, destacar os movimentos lógicos do Doctor Subtilis. Na sua concepção, só podemos chegar a Deus quando alcançamos a noção de ente infinito, que é a mais perfeita ideia que a nossa inteligência pode formular. Por isso, a sua demonstração comporta duas fases: na primeira, estabelece a existência de um ente primeiro; na segunda, que este ente primeiro é um ser infinito. Fá-lo-á não como seus predecessores, tomando como ponto de partida, quer uma ideia abstrata de Deus, quer os seus efeitos sensíveis. Não pode partir da ideia, porque uma ideia da essência divina é-nos denegada nesta vida; é-nos vedado, ademais, partir das coisas sensíveis, porque embora evidentes, eles são contingentes, isto é, pertencem ao mundo físico. Mister para Escoto, é partir de algo que seja certo e necessário. Ora, no bojo da própria contingência, ele se depara com estas duas propriedades. De fato, se é contingente que o mundo exista, pois ele existe e pode não existir, é necessária, todavia, precisamente esta contingência, visto que é ao menos necessária a possibilidade de haver um mundo. Por isso, fato certo e necessário, ei-lo: a contingência do mundo. Logo depois, arrolará Escoto as razões pelas quais deve haver um ente primeiro e em que consiste a sua infinitude. Seguir-se-ão, por fim, as considerações finais do texto, que será uma breve reelaboração da “ratio anselmi” por Escoto.

 Sobe |    
   Documentos da notícia:
 Prova__Existencia__de__Deus_Duns_Escoto.pdf
  Copyright © filosofante.org.br 2008 - Todos Direitos Reservados