Várzea Grande/MT,
-
1 Usuário Online
Já temos  visitas
desde o dia 03/03/2008
  MENU
  FILOSOFIA
  TEOLOGIA
- Sites de Teologia
- Sites de Filosofia
- A Ética Filosófica em Tomás de Aquino
- Humildade e exaltação: A dinâmica do amor
- Deus é um seio – Narrativas evangélicas
- Marxismo: A “sacrossanta” anulação do amor ao próximo por amor à humanidade
- Deus, Filosofia e Vida – Uma primeira aproximação
Tomás de Aquino
Postado em:02/04/2016 às 15:51 
A Ética Filosófica em Tomás de Aquino
Como diria Gonzaguinha, começaria tudo outra vez, se preciso fosse! Certamente não da mesma forma, até porque  nu...
Postado em:28/03/2015 às 23:49 
Humildade e exaltação: A dinâmica do amor
Apesar de lançado agora, há muito escrevi este artigo. O autor do livro do Eclesiástico afirma: “Não ordenou a ninguém s
Postado em:01/03/2015 às 15:28 
Deus é um seio – Narrativas evangélicas
No filme de Mel Gibson, A Paixão de Cristo, o que mais me impressionou foi a absoluta fidelidade de Nosso Senhor a Ele m
Postado em:17/12/2014 às 12:34 
Marxismo: A “sacrossanta” anulação do amor ao próximo por amor à humanidade
Um dos rituais judaicos para expiação dos pecados consistia no fato de toda comunidade colocar as mãos sobre um bode e c
Postado em:30/09/2014 às 17:54 
Deus, Filosofia e Vida – Uma primeira aproximação
Há muito escrevi este texto. Não faço ideia em que gênero literário enquadrá-lo.  Também não julgo que seja desti...
As provas da existência de Deus
por: - Data:16/06/2010 às Horário: 22:34
A prova da existência de Deus em Guilherme de Ockham
Anexos do Artigo: 

Guilherme de Ockham nasceu na Inglaterra, por volta do ano de 1285. Ainda jovem entrou na Ordem franciscana. Em 1307 tornou-se diácono. Tudo indica que tenha cursado teologia em Oxford, de 1309 a 1315. Como Bacharel Bíblico, leu as Sagradas Escrituras de 1315 a 1317; como Bacharel Sentenciário, leu o livro das Sentenças de Pedro Lombardo de 1317 a 1319. Não foi promovido para regente, quiçá por ser suspeito de heresia. Denunciado por defender doutrinas estranhas, sua situação agravou-se quando se colocou contra o Papa na questão da pobreza.  Residindo em Avinhão, teve que fugir por causa do agravamento do seu processo, pedindo asilo e proteção a Luís de Baviera, em Pisa. Em 1329, passou a residir em Munique, onde se dedicou a escrever obras de caráter contestatório à política eclesiástica do seu tempo. Após a morte de Luís, Ockham, habilmente, tentou fazer as pazes com o Papa, retratando-se das suas doutrinas “político-eclesiásticas”. Morreu em 1349, provavelmente vitimado pela peste negra.

Ockham é a principal referência do nominalismo no século XIV. Sem dúvida, o Inceptor Venerabilis foi o maior lógico do seu tempo. Neste artigo, almejamos expor, em suas linhas gerais, a sua prova da existência de Deus, que parte dos mesmos pressupostos da de Duns Escoto, acrescentando-lhe somente o conceito de causa eficiente-conservante. Após breve intróito acerca da distinção entre os conhecimentos teológico e filosófico de Deus, passaremos a destacar a prova da existência de Deus tomada da contingência do mundo que exige, além de uma causa eficiente, como já previra Duns Escoto, uma causa conservante, pois uma coisa que subsiste por si depois de ter sido produzida, perde o seu caráter contingente, que é, por sua vez, o fundamento da prova. Em seguida, passaremos às considerações finais ao texto, retomando a base do seu argumento.

 Sobe |    
   Documentos da notícia:
 Prova__Existencia__de__Deus_Guilherme_Ockham.pdf
  Copyright © filosofante.org.br 2008 - Todos Direitos Reservados