Várzea Grande/MT,
-
1 Usuário Online
Já temos  visitas
desde o dia 03/03/2008
  MENU
  FILOSOFIA
  TEOLOGIA
- Sites de Teologia
- Sites de Filosofia
- A Ética Filosófica em Tomás de Aquino
- Humildade e exaltação: A dinâmica do amor
- Deus é um seio – Narrativas evangélicas
- Marxismo: A “sacrossanta” anulação do amor ao próximo por amor à humanidade
- Deus, Filosofia e Vida – Uma primeira aproximação
Tomás de Aquino
Postado em:02/04/2016 às 15:51 
A Ética Filosófica em Tomás de Aquino
Como diria Gonzaguinha, começaria tudo outra vez, se preciso fosse! Certamente não da mesma forma, até porque  nu...
Postado em:28/03/2015 às 23:49 
Humildade e exaltação: A dinâmica do amor
Apesar de lançado agora, há muito escrevi este artigo. O autor do livro do Eclesiástico afirma: “Não ordenou a ninguém s
Postado em:01/03/2015 às 15:28 
Deus é um seio – Narrativas evangélicas
No filme de Mel Gibson, A Paixão de Cristo, o que mais me impressionou foi a absoluta fidelidade de Nosso Senhor a Ele m
Postado em:17/12/2014 às 12:34 
Marxismo: A “sacrossanta” anulação do amor ao próximo por amor à humanidade
Um dos rituais judaicos para expiação dos pecados consistia no fato de toda comunidade colocar as mãos sobre um bode e c
Postado em:30/09/2014 às 17:54 
Deus, Filosofia e Vida – Uma primeira aproximação
Há muito escrevi este texto. Não faço ideia em que gênero literário enquadrá-lo.  Também não julgo que seja desti...
Ética e Política Tomásica
por: - Data:28/04/2010 às Horário: 18:02
Agostinho: A Cidade de Deus
Anexos do Artigo: 

Este artigo pretende trabalhar a teoria política agostiniana, a partir da sua teologia da história, consignada no De Civitate Dei. O principal objetivo é propor um conspecto desta obra, a fim de salientar que a religião cristã não é uma religião que sugira uma alienação do mundo em que vivemos. Desenvolveremos a nossa temática da seguinte forma. Antes de tudo, apresentaremos uma concisa biografia da vida de Agostinho, que nos fará ver como a história do nosso teólogo cruzou-se com a de Roma. Aproveitando o ensejo, elencaremos as suas principais obras, o que permitirá que localizemos em que fase da vida de Agostinho surgiu esta monumental obra, que levou dez anos para ser concluída. Depois, apresentaremos o contexto histórico, bem como a motivação que deu origem ao De Civitate Dei. Em seguida, tentaremos propor uma divisão do livro que ressalte o que, a nosso ver, é o tema principal da obra: mostrar que a esperança cristã não foi a causa da queda do império romano; esta se deu, ao contrário, pela dissolução dos costumes do povo. Por fim, passaremos às considerações finais deste trabalho.

O nosso texto básico será, evidentemente, o De Civitate Dei. Lançaremos mão da tradução brasileira de Oscar Paes Lemes, editada pela Vozes em dois volumes. Recorreremos ao clássico de Étienne Gilson La Philosophie au Mon Âge. De Scot Érigène à Guillaume d’Occam (1922), na versão modificada – La Philosophie au Mon Âge. Dès Origines Patristiques à la Fin du XIV – de 1944. A tradução que seguiremos, no caso, será a brasileira, feita por Eduardo Brandão e lançada pela editora Martins Fontes, em 1995: A Filosofia na Idade Média.

 Sobe |    
   Documentos da notícia:
 Agostinho_Cidade_Deus.pdf
  Copyright © filosofante.org.br 2008 - Todos Direitos Reservados