Várzea Grande/MT,
-
1 Usuário Online
Já temos  visitas
desde o dia 03/03/2008
  MENU
  FILOSOFIA
  TEOLOGIA
- Sites de Teologia
- Sites de Filosofia
- A Ética Filosófica em Tomás de Aquino
- Humildade e exaltação: A dinâmica do amor
- Deus é um seio – Narrativas evangélicas
- Marxismo: A “sacrossanta” anulação do amor ao próximo por amor à humanidade
- Deus, Filosofia e Vida – Uma primeira aproximação
Tomás de Aquino
Postado em:02/04/2016 às 15:51 
A Ética Filosófica em Tomás de Aquino
Como diria Gonzaguinha, começaria tudo outra vez, se preciso fosse! Certamente não da mesma forma, até porque  nu...
Postado em:28/03/2015 às 23:49 
Humildade e exaltação: A dinâmica do amor
Apesar de lançado agora, há muito escrevi este artigo. O autor do livro do Eclesiástico afirma: “Não ordenou a ninguém s
Postado em:01/03/2015 às 15:28 
Deus é um seio – Narrativas evangélicas
No filme de Mel Gibson, A Paixão de Cristo, o que mais me impressionou foi a absoluta fidelidade de Nosso Senhor a Ele m
Postado em:17/12/2014 às 12:34 
Marxismo: A “sacrossanta” anulação do amor ao próximo por amor à humanidade
Um dos rituais judaicos para expiação dos pecados consistia no fato de toda comunidade colocar as mãos sobre um bode e c
Postado em:30/09/2014 às 17:54 
Deus, Filosofia e Vida – Uma primeira aproximação
Há muito escrevi este texto. Não faço ideia em que gênero literário enquadrá-lo.  Também não julgo que seja desti...
Ética e Política Tomásica
por: - Data:27/04/2010 às Horário: 20:12
O homem como imagem e semelhança de Deus em Bernardo de Claraval
Anexos do Artigo: 

Este artigo trata da temática da liberdade em Bernardo de Claraval. Ele desenvolveu este tema a partir da concepção cristã segundo a qual o homem foi feito à imagem e semelhança de Deus. Após um breve conspecto acerca da vida e obra nosso autor, começaremos por descrever em que, para Bernardo, consistia esta imagem e semelhança de Deus no homem. Como Bernardo entendia que a imagem de Deus no homem se refletia, sobretudo, pelo seu livre-arbítrio, tentaremos definir o que seja o livre-arbítrio para o nosso místico. Ademais, já que, para ele, a semelhança com Deus está no que ele chama de “livre-conselho” e “livre-complacência”, esforçar-nos-emos por discernir o que ele entendia serem estas duas faculdades. Segundo Bernardo estas duas potências são distintas da alma e amissíveis, e o homem de fato as perdeu pelo pecado. Por isso o nosso texto tentará compreender de que modo se deu esta perda e como se deve buscar a restauração do homem como semelhança de Deus. Esmeraremos por fazer notar que esta semelhança com Deus está na liberdade do homem que, segundo Bernardo, não consiste apenas no exercício do seu livre-arbítrio, mas na sinergia entre livre-arbítrio, “livre-conselho” e “livre-complacência”. Em seguida, passaremos às considerações finais do nosso trabalho.

O texto que servirá de base para a nossa reflexão será o de História da Filosofia Cristã. Desde as Origens até Nicolau de Cusa (1951) – parceria de Gilson com Philotheus Boehner. Esta obra foi trazida ao vernáculo pelo Prof. Raimundo Vier, em 1970, a partir da edição alemã: Christliche Philosophie – von ihren Anfaengen bis Nikolaus von  Cues (1952 a 1954). Nela encontram-se, além de uma síntese autorizada do pensamento do Doutor Mellifluus sobre o assunto, várias passagens de obras do mesmo que nos servirão de referência para o desenvolvimento da nossa pesquisa. 

 Sobe |    
   Documentos da notícia:
 Bernardo_Claraval__Homem_Imagem_Semelhanca_Deus.pdf
  Copyright © filosofante.org.br 2008 - Todos Direitos Reservados