Várzea Grande/MT,
-
1 Usuário Online
Já temos  visitas
desde o dia 03/03/2008
  MENU
  FILOSOFIA
  TEOLOGIA
- Sites de Teologia
- Sites de Filosofia
- A Ética Filosófica em Tomás de Aquino
- Humildade e exaltação: A dinâmica do amor
- Deus é um seio – Narrativas evangélicas
- Marxismo: A “sacrossanta” anulação do amor ao próximo por amor à humanidade
- Deus, Filosofia e Vida – Uma primeira aproximação
Tomás de Aquino
Postado em:02/04/2016 às 15:51 
A Ética Filosófica em Tomás de Aquino
Como diria Gonzaguinha, começaria tudo outra vez, se preciso fosse! Certamente não da mesma forma, até porque  nu...
Postado em:28/03/2015 às 23:49 
Humildade e exaltação: A dinâmica do amor
Apesar de lançado agora, há muito escrevi este artigo. O autor do livro do Eclesiástico afirma: “Não ordenou a ninguém s
Postado em:01/03/2015 às 15:28 
Deus é um seio – Narrativas evangélicas
No filme de Mel Gibson, A Paixão de Cristo, o que mais me impressionou foi a absoluta fidelidade de Nosso Senhor a Ele m
Postado em:17/12/2014 às 12:34 
Marxismo: A “sacrossanta” anulação do amor ao próximo por amor à humanidade
Um dos rituais judaicos para expiação dos pecados consistia no fato de toda comunidade colocar as mãos sobre um bode e c
Postado em:30/09/2014 às 17:54 
Deus, Filosofia e Vida – Uma primeira aproximação
Há muito escrevi este texto. Não faço ideia em que gênero literário enquadrá-lo.  Também não julgo que seja desti...
Filosofia e Teologia
por: - Data:08/02/2010 às Horário: 02:09
Aeterni Patris
Anexos do Artigo: 

O Filho Unigênito do Pai Eterno, que apareceu sobre a terra para trazer ao gênero humano a salvação e a luz da sabedoria divina, concedeu, certamente, um grande e admirável benefício ao mundo, quando, havendo de subir novamente aos céus, mandou aos apóstolos que “(...) fossem ensinar todas as gentes”; e deixou a Igreja por ele fundada como mestra comum e suprema dos povos. Pois os homens, aos quais a verdade havia libertado, deviam ser conservados na verdade; nem haveriam durado por muito tempo os frutos das doutrinas celestes, pelas quais o homem adquiriu a salvação, se Cristo, Nosso Senhor, não houvesse constituído um magistério perene para instruir os entendimentos na fé.

Porém, a Igreja, ora animada com as promessas do seu divino autor, ora imitando a sua caridade, de tal sorte cumpriu seus preceitos, que sempre teve em vista e foi seu principal desejo, ensinar a religião e lutar perpetuamente contra os erros. A isto tendem os trabalhos diligentes de cada um dos Bispos, a isto as leis e os decretos promulgados pelos Concílios, e, em especial, a cotidiana solicitude dos Romanos Pontífices, aos quais, como a sucessores no primado do bem-aventurado Pedro, Príncipe dos Apóstolos, pertencem o direito e a obrigação de ensinar e confirmar a seus irmãos na fé.

 Sobe |    
   Documentos da notícia:
 Aeterni_Patris.pdf
  Copyright © filosofante.org.br 2008 - Todos Direitos Reservados